O problema da mobilidade urbana

16:30 Marília Andrade 0 Comments




Congestionamentos, congestionamentos e mais congestionamentos. Parece que a cidade não anda mais. Percursos que que demoravam 15 minutos para serem percorridos de carro chegam a durar 1 hora ou mais. Muitos culpam outros motoristas, outros culpam a não sincronização dos sinais de trânsito, outros já não sabem a quem culpar, pois, um simples carro quebrado em meio a uma via, ou qualquer outra adversidade, pode causar um congestionamento preocupante.


Com horas perdidas no trânsito, a mobilidade passou a ser o tema de debates em todos os lugares daqueles que habitam a cidade. Uma análise imediatista pode fazer chegar à conclusão de que as cidades não contam com uma infraestrutura urbana adequada para abrigar uma frota de veículos que cresce cada vez mais. Mas, será que a solução é aumentar o espaço das vias para permitir um maior fluxo de automóveis de uso individual?

Se observarmos atentamente, mesmo as ruas abertas ou alargadas, os túneis e os viadutos construídos, muito rapidamente são (re) ocupados pelos automóveis. Ou seja, intervenções que aparentemente são vistas como soluções para desafogar o tráfego, mostram-se cada vez mais insuficientes. A questão é “quanto mais rua se constrói, mais trânsito aparece. ” ¹


Ou seja, o ponto central da compreensão do problema está no fato de que, há mais de cinquenta anos, o automóvel tem sido o protagonista nas cidades. Os espaços públicos voltados para pedestres vêm se deteriorando, uma vez que o planejamento urbano, quase sempre, visa resolver apenas os problemas dos veículos motorizados.  
Este fato, associado a um inadequado sistema de transporte coletivo, e a uma falta de alternativas de meios de transporte, como a bicicleta, contribui para a dependência de muitas pessoas do transporte individual.

Por isso, “é importante considerar os eixos urbanos não apenas como peças de sistema viário, mas sobretudo, como parte integrante do Sistema de Espaços Públicos da Cidade. ” ²


¹LEITE, Carlos. Cidades sustentáveis, cidades inteligentes: desenvolvimento sustentável num planeta urbano. Porto Alegre: Bookman, 2012, p. 145.

²DUARTE, Clarissa. Revista arrecifes, v.10.

CARTILHA - Por um espaço público e cidadão: a mobilidade e a conquista da rua.

0 comentários: